quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ei, isso não!



Por favor, isso não devia estar banalizado. Em tempos de modernidade, onde tudo se facilita, encurta, simplifica, corta, minimiza, compacta, certos valores entraram nessa onda de minimizar e certos valores estão caindo no esquecimento. As vezes eu acho que não sou desse mundo, desse século. Não é possível, eu nasci no século errado mesmo... Sabe daquelas à moda antiga? Aquelas que valorizam mais as flores do que cartões virtuais ou depoimentos no orkut, um abraço a uma mensagem no celular, uma noite do pijama a uma conversa no msn. Mas não era sobre isso que eu queria falar, tava pensando sobre o quanto certos valores importantes tanto pra a sociedade quanto para nós mesmos estão banalizados. Banalização da ética, da moral, a noção de amizade verdadeira, companheirismo, amor, fidelidade, sinceridade e até mesmo, ou quem sabe principalmente a banalização do pecado... sabe, parece que as pessoas não se preocupam mais se certas atitudes desagradam a Deus, afinal de contas, se EU sou o umbigo do universo porque eu deveria me preocupar com o que Deus acha das minhas atitudes, afinal de contas Ele é apenas O cara... Ow, cai na real... o que que vai precisar acontecer pra ficha cair? Pras pessoas perceberem que tudo aquilo que elas fazem visando agradar tão somente a elas mesmas não pode ser bom, pois tudo que buscamos pra satisfazer ao nosso coração não tem como ser bom. Nosso coração é egoísta, enganoso, corrupto. Ou você acha que esses caras começaram essas trelas colocando milhares em dinheiro na cueca e na meia? Não eles começaram assinando a chamada pelo amigo que não foi, falando pros pais que ia dormir na casa de uma amiga enquanto foi pra balada pegar uns gatinhos, ou quem sabe inventar para o professor que não fez aquele trabalho pois sua avó está doente ou seu cachorro teve um súbito ataque de raiva e comeu seu lindo trabalho. Essas coisas não surgem grandes e nem do dia pra noite, vem aos poucos e a medida que essas coisinhas se tornam normais e corriqueiras na sua vida elas só tendem a aumentar, e quando você vê, não mais apenas uma manchinha, a coisa se espalhou por toda a sua vida, e virou uma grande porcaria! Sabe o que é pior nisso tudo? Que Deus entregou seu único filho pra morrer naquela cruz pelo meu e pelo seu pecado, mas isso também está sendo banalizado, pois pra que um sacrifício desse tamanho por pessoas sequer se importam com o pecado. Se liga, enquanto ainda é tempo!

5 comentários:

Letícia Rozendo disse...

Essa relativização de tudo inclusive dos valores éticos, trazem a sensação que as coisas muitas vezes ne precisam ser feitas mais as escondidas, mas escancaradas... Precisamos de mais honestidade!!!

Daniel. disse...

Se tivéssemos uma noção mínima de quem Deus é, temeríamos. Conhecer a Deus é temer a Deus. E não dá pra amar sem conhecer. Portanto, creio que amor sem temor é: 1- uma mentira e 2- a origem disso tudo que você, com propriedade, denunciou nesse post.

Jesus, muda minha vida...

Letícia Rozendo disse...

Ei tem um selinho pra voce no meu blog, num post de dezembro!! bjim

Reginaldo disse...

faço minhas as palavras do Daniel.
e.. que texto forte e sensato!

parabens!

bjao

AnaKrol disse...

Todos os seus textos são muito bons, menina!