quarta-feira, 6 de outubro de 2010

“Nunca corte...




...aquilo que pode ser apenas desatado”. Edson Marques. Em tempos de excesso, de intensidade, em que quanto mais melhor, buscar um certo equilíbrio pode até ser confundido com preguiça, ou com falta de ambição. Muitas vezes acaba-se por se perder no meio de tanta intensidade, que se menospreza o “o que” e valoriza o “como”. Cria-se robôs, pessoas programadas para fazer isso, ou aquilo, dessa forma ou daquela, que muitas vezes não paramos para pensar se é tempo disso, ou daquilo. Buscamos uma eficiência, uma agilidade que muitas vezes não é a melhor forma de se resolver um problema. Buscamos soluções rápidas que nem sempre são tão eficazes, e acabamos por cortar aquilo que poderia ser apenas desatado, daria mais trabalho, “perderia-se” ou investiria-se mais tempo, exigiria-se mais paciência, habilidade, cuidado, mas o resultado seria muito mais eficaz do que simplesmente cortar. Muitas vezes na nossa angústia e ansiedade de resolver logo o problema não pensamos muito nos resultados de nossas ações, pensamos apenas na imediaticidade das nossas ações, e por vezes acabamos por não nos importarmos com o depois, com as consequências que nossas ações e palavras podem gerar na vida das pessoas que estão a nossa volta, na vida das pessoas que amamos. E acaba que nos colocamos, mais uma vez em uma posição superior às pessoas a nossa volta, não nos importando com elas e sim em resolver a qualquer custo um problema que pode existir apenas na nossa cabeça, e ao invés de simplesmente tentar desatar e usar esse tempo a mais que se usa para refletir ao invés de simplesmente cortar e resolver momentaneamente um problema e comprometer algo que pode ser muito mais difícil de reverter ou de arrumar depois. Resolver um problema não consiste apenas em pegar uma tesoura e cortar, muitas vezes o nó nem existe, a corda está apenas enrolada. Atitudes como parar, pensar, respirar, refletir para só então agir pode preservar esse comboio de cordas que se chama o coração (como diria Fernando Pessoa).

4 comentários:

Adriano Ribeiro disse...

Gostei muito Parabéns!!

Rebeca Arrais disse...

Gostei muito do teu blog e te linkei ;)

erico disse...

gostei do blog acessa o meu ai htpp://tenhoamarcadapromessa.blogspot.com

erico

Romantico Rebelde disse...

Fazia tempos que não vinha por aq! Lindo o texto, sabe fico pensando no que você falou, tão dificil, saber o que devemos cortar e o q devemos desatar. Precisamos muito da sabedoria de DEUS, de aprender e de amadurecer... pq as vezes cortamos o q deveriamos desatar e desatamos o q deveriamos cortar!