segunda-feira, 26 de abril de 2010

Não fique triste...



...quando ninguém notar o que fez de bom. Afinal... O sol faz um enorme espetáculo ao nascer,e mesmo assim, a maioria de nós continua dormindo. Charles Chaplin. É tão comum pensarmos mais no reconhecimento que não recebemos do que na obra que fizemos, não é? Quantas vezes nos pegamos tristes por isso? Ou quem sabe nos sentimos frustrados por não ter o reconhecimento “merecido”? Ou até que essa frustração não possa servir de empecilho para outros projetos? Tenso concordar com alguma ou todas as perguntas? Bom para refletir qual tem sido o nosso objetivo quando realizamos algo. É simplesmente fazer bem feito o que fora chamado para fazer, ou fazer bem feito e ser reconhecido por isso. Só porque não recebemos louros, ou medalhas, ou troféus, ou cartazes, ou que seja elogios a fio, por algo, que muitas vezes, não passava de sua obrigação. Nossa motivação não deve ser pautada simplesmente nos “achismos” e opiniões das pessoas. Quem te chamou para executar tal trabalho? Quem te capacitou para isso? Quem te dá as ferramentas necessárias para realizar tal feito? Pois então, você não acha que devemos buscar agradar a Deus? E somente a Ele? Que o nosso foco deve ser sonhar os sonhos de Deus, e fazer a Sua vontade, não a vontade das pessoas. Devemos buscar o reconhecimento tão somente do Senhor, e não das pessoas, elogios demais vindo dos homens mexe com o orgulho, com a vaidade, acabamos por nos encher demais de nós mesmos e cairmos no equívoco de acharmos que somos suficientes para a realização de qualquer coisa. E não devemos buscar essa auto-suficiência, devemos buscar a total dependência de Deus. Porque é somente pela graça e pela misericórdia dEle é que conseguimos realizar qualquer coisa. E como diz Chaplin, o sol nos mostra um maravilhoso espetáculo todas as manhãs, e muitos sequer se dão conta desse show, se nem o sol que traz a luz e calor todos os dias faz seu show ser notado, porque nós, tão pequenos buscamos agradar tanto as pessoas?

5 comentários:

Daniel. disse...

A busca pelo reconhecimento dos homens é algo inerente, natural, pertencente à nossa caída natureza. Devemos, como você sugeriu, viver para uma platéia tri-una. Meu sonho é viver assim, pra uma platéia onde só Deus realmente importa. Como de costume, Mari, o que você sugere no blog é "tão difícil"... =]

Mari disse...

(quase) facil

Filipe Hagen disse...

Chaplin e suas frases. Mari e suas reflexões. Muito bacana! Super coerente.

Como precisamos corrigir nossas motivações, o coração inclinado para nós mesmos...

Letícia Rozendo disse...

obrigada por lembrar, nossas motivações, não somos nada!! ei mari vc é tão max lucado srrss

Monique Meneses disse...

Mariii!! Muito bom o texto! Que seja verdade em nossas vidas e que a cada dia Deus nos dê a sabedoria para lidar essas questões! Não somos nada, não sabemos de nada. Mais amor e gratidão, e menos reconhecimento. Devemos nos empenhar em dar o nosso melhor sem esperar algo em troca. A nossa resompensa virá, mas ela não está aqui na terra. Lembremo-nos disso!
Deus te abençoe!
Bjos queridaaa!