domingo, 5 de junho de 2011

"Não haverá borboletas...



...se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses". Rubem Alves

As vezes mudar é importante, outras vezes é necessário. Nos deparamos com mudanças constantemente. Mudança no clima, mudança de governo, mudança da noite pro dia, mudança em algumas opiniões, a gente engorda ou emagrece, dentre tantas outras.

Em uma análise meio filosófica, hoje não somos os mesmos de ontem, todos os dias aprendemos coisas novas, ampliamos nossas áreas de interesse, ou ainda quem sabe enjoamos de outras.

Diariamente nos deparamos com situações que nos conduzem a mudanças interiores. Situações em que devemos ser mais pacientes, situações que devemos ser mais flexíveis, situações que devemos ser mais inflexíveis. A todo instante estamos desenvolvendo a nossa maturidade, nos tornando diferentes do que éramos.

Outra mudança importante é a relativa ao aprendizado, todos dias aprendemos coisas novas, não necessariamente em uma sala de aula ou com algum professor, academicamente falando. Mas um aprendizado sobre aquilo que é realmente relevante. Não estou dizendo que aquilo que aprendemos em sala de aula seja irrelevante. Mas o critério de importância gira em torno do fato de investir em um conhecimento que não se perde. Um conhecer não apenas de tomar conhecimento. Mas um conhecer de viver, de fazer parte, de ser!

Mas há certas coisas que não devem (não podem!) ser mudadas, mudar isso seria negociar o inegociável. A Palavra de Deus não muda. Foi escrita ha muitos anos, e continua sento completamente atual. Tentar mudar o que Deus disse, ou simplesmente aceitar ou tolerar essas tentativas de mudanças é negociar aquilo que não é negociável. Por isso não devemos absorver tudo o que nos dizem, e o que pregam para nós sem quer o senso crítico seja estabelecido na Palavra de Deus.

Quando essa palavra faz diferença na nossa vida, a mudança é inevitável. Pois antes eu vivia para agradar a mim mesma, eu vivia para satisfazer apenas os meus interesses, vivia em um mundo egoísta e sem esperança. Mas a partir do momento em que Jesus Cristo toca no nosso coração, Ele também transforma, e a partir daí, tudo de fez novo!

Um comentário:

Tisha Shay disse...
Este comentário foi removido pelo autor.