quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

É sempre assim

Final de ano, natal, ano novo, férias... todo ano é a mesma coisa, como a minha digníssima e ilustríssima amiga Pri já havia mencionado não há diferença alguma, os mesmos filmes na TV (não agüento mais um herói de brinquedo com o Arnold Schwarzenegger esquecendo de comprar o brinquedo para seu filho...), as mesmas musicas, a mesma falsidade, muitas promessas q não vão ser cumpridas, muita gente se fingindo de bonzinho só p/ ganhar presentes.. ai ai... ai tava pensando.. caracas se nem eu agüento mais esse cliima toodo de natal pq é q é q eu vou ficar escrevendo sobre Natal, a minha ilustríssima amiga Pri já nos colocou a par de todas as suas criticas e desabafos sobre o Natal, ano novo, festas, fim de ano.. eu quero falar de coisas mais legais, porem.. entretanto.. todavia.. contudo... apenas me vem a cabeça o julgamento do caso “Maria Claudia”, para quem está por fora, nessa semana foi o julgamento do caseiro que violentou, e matou essa garota na casa dela, la no lago sul (em breve saberão o motivo de ter especificado a localidade do ato), então, o caseiro foi condenado e talz.. mas eu fico me perguntando, quantos e quantos casos de garotas nessa faixa de idade, +-20 anos não são vitimas de tais crueldades diariamente no nosso país? Mas ninguém fica sabendo? Ninguém que fazer justiça? Ninguém quer ir ao tribunal do júri fazer o seu clamor social? PQ?? PQ??? Outro exemplo, o caso Timponi (o cara que fez um pega na ponte JK e acabou matando 3 mulheres, pq tanta revolta qndo ele foi solto? Isso acontece tão frequentemente com tantos outros mauricinhos ai e ninguém se manifesta pq?? PQ?? Não há clamor social pq?? Querem saber pq? Pq esses casos q eu citei aconteceram em áreas ‘nobres” em Brasília e só há “clamor social” para com os bem sucedidos! É isso, a verdade dói.. mas é verdade! Se esses crimes só acontecessem com os menos favorecidos não haveria perigo, não há ameaça aos poderosos... qual é.. como é que uma sociedade quer justiça na nação como um todo se nem na hora de reivindicar é capaz de pensar na grande massa da população? Quanto egoísmo meu povo.. quanto egoísmo...

4 comentários:

Bruna disse...

Maaari!
você por aqui!
hehehe
post legal!
realidade que advogadas como vc e publicitárias como eu lutarao pra mudar, né?

=D
beijo!

Daniel. disse...

Maaari! Você é toda revoltadinha e revolucionariazinha! Bem que eu achei esse rosa do seu blog meio feminista-comunista!!!

Brincadeiras à parte, vamos analisar alguns fatos interessantes:

Brasil, país colonizado por católicos (na época inicial, com o intuito principal de explorar, não de 'se mudar pra cá'), país governado por líderes escolhidos pelo povo (eu ODEIO o popular adágio 'a voz do povo é a voz de Deus', mas, bem, toda autoridade é constituída por Deus... No nosso caso, creio que seja uma autoridade colocada lá como juízo sobre um povo ímpio que não quer saber de Deus, só quer saber de si mesmo)

Bom, indo direto ao assunto (nossa... eu ia escrever tão pouquinho... =[) recentemente tivemos um caso que não foi em 'região nobre' e o país inteiro ficou sabendo.

Moral da história?

Pra pobre estuprada ficar famosa, tem que ter sido jogada dentro de uma cela masculina de cadeia.

Agora, de volta à programação normal:

Natal não é ruim. Não quis encher a paciência da Pri (sim, eu li, antes até de você comentar!) mas apesar de ser uma data criada espertamente pela ICAR pra roubar a atenção da adoração ao deus sol, é um motivo perfeitamente aceitável para nos alegrarmos e festejarmos.

O lance de olharmos só pra a falsidade poderia incentivar pensamentos como "odeio domingo, todo domingo essa galera vai na igreja se fingir de santo" ou "odeio acampamento, todo acampamento esse povo finge mudar de vida" ou "odeio esses novos convertidos, daquie a duas semanas eles vão cair de novo mesmo!"...


OK, EU EXAGEREI!!

Mas a base real da argumentação (tendo como premissas básicas de que é algo bom comemorarmos o nascimento da natureza humana de Jesus e que, já que não sabemos ao certo a data, podemos assumir qualquer uma - em outras palavras, 25 de dezembro é tão aceitável quanto qualquer outra data) - como eu dizia, a base real da argumentação é que há, sim, uma ótima oportunidade para falarmos de Jesus, uma excelente oportunidade de tentativas de reconciliação familiar e, bem, de vez em quando lançam filmes bons. Se você gosta de Nárnia, agradeça ao "fenômeno do cinema natalino"! (...)

Eu falo demais? Eu falo demais.

Assim que as férias da UnB chegarem, vou terminar uns contos no meu blog. Não sou bom de terminar contos, mas preciso fazer isso.

Beijos, vários! ^^

Pricilla Alice disse...

mariiiiiiiiiiiiiiiiii
\o/
vou nem falar nada ó!já tô é revoltada com isso
:P
um beijo e um queijo pra tu
até de tardeeeeeeeeee
uhuuuuuuuuuu
viva os boletinhoooooooooooos
\o/ \o/
:P

Filipe Hagen disse...

Nossa, Mari... o clima aqui nesse blog tá tenso, hein?? Posts fervilhantes!! hehehe
Vou visitar mais, aprender mais por aqui também! =]

Bjos